Vitor Pamplona

Innovation on Vision: Imaging , Enhancement and Simulation

Tenha uma Segunda Graduação

O que fazer após a faculdade? Certamente essa é uma pergunta que já incomodou muita gente. A maioria dos estudantes se sente perdido ao terminar uma graduação. Alguns se perguntam: Academia ou Mercado? Depois da minha palestra no Café com o Tom   e de ter lançado a EyeNetra / GoBlink, muitas pessoas me procuraram para esclarecer dúvidas e apresentarem seus " contextos ". Ontem um colega de longa data me disse:

Vitor, terminei a minha faculdade aqui em Blumenau. Estive pensando em fazer uma Pós para melhorar o meu curriculum, mas não gostei de nenhum curso das universidades da região. A maioria em análise de negócios, produção ou em tecnologias web (que mais parece um cursinho técnico). Como também não quero sair de Blumenau, pensei em tirar algumas certificações. O que você acha?      

 Fiquei sem resposta. Normalmente, eu indicaria um programa de Mestrado. Se a pessoa for mais experiente, um MBA. Mas neste caso, nenhum dos dois é possível. Este meu colega tem razão em um ponto: não vale a pena fazer uma pós-graduação fraca ou que não seja motivante . Ao invés de aprender algo útil, você gastará tempo e dinheiro. O João (nome fictício) não tem boas opções. Certificações também não significam nada , são só fachada. Algumas empresas as consideram por falta de uma métrica melhor, mas todos sabem que as certificações só demonstram que a pessoa estudou para a prova.

Hoje, pensando melhor no caso dele, cheguei a uma conclusão: Faça outra faculdade . Isso mesmo. Mais 4 anos. Parece estranho mas é uma ótima alternativa. Primeiro porque pouquíssimas pessoas possuem dupla diplomação. Isto já te tira da média e te faz um profissional diferenciado. Segundo porque a chance de conhecer profundamente um outro ramo de atividade poderá te trazer idéias, negócios e parcerias. Terceiro, você poderá observar seus clientes em habitat natural, o que fará de você um ser único na região. Quarto, o impacto no curriculum, o apelo comercial, é muito maior que um Mestrado. Quinto, você vai se divertir observando um mundo totalmente diferente e não vai estagnar como acontece frequentemente.

Quantos bacharéis, em computação e em direito, você conhece? Nenhum? É... A grande maioria dos profissionais de TI não faz idéia de como escrever uma boa licença de software, um bom termo de uso, um bom documento de política de privacidade. Sequer sabem quais são os problemas de direito autoral e proteção de conteúdo para textos e imagens da web. Muitas ignoram as licenças restritivas de software livre como GPL. Muitos jamais leram uma licença. As empresas acabam contratando consultores, advogados que muitas vezes não conhecem a área de TI o suficiente para o trabalho. É aí que você entra.  

Quantos bacharéis em computação e médicos você conhece? Nenhum? Que tal entrar na área de cabeça e entender o que realmente os médicos precisam? Geeks estão em alta. Que tal um curso de Jornalismo para cobrir colunas geeks nas principais mídias brasileiras? Ou então um curso de matemática / estatística, para criar soluções a problemas complexos, que poucas pessoas precisam, mas pagam milhões por ela. Um curso de física para buscar uma vaga no Cern ou na NASA. Um curso de artes criar a engine de jogos que todo o artista gostaria e nunca conseguiu explicar aos programadores. Um curso de administração pública para tentar melhorar nosso país através de software? Contabilidade, economia (bolsa de valores), comércio exterior, psicologia, entre outros. Todos eles estão esperando por profissionais de TI que possam entendê-los, sem muito esforço, e muitas empresas sentem falta de um computólogo com conhecimento profundo do ramo do cliente.

Enfim existem inúmeras opções de cursos, cada um com seu benefício. Escolha uma área que você gostaria de conhecer, talvez não para ganhar dinheiro, mas simplesmente por diversão. Como você já trabalha, você pode fazer o curso de maneira mais leve e mais longo: poucas disciplinas por vez. Existem faculdades que abrem turmas especiais para pessoas mais experientes, talvez esta seja a melhor alternativa.

Eu, por enquanto, planejo um curso de matemática após o doutorado. Ou talvez um de direito, já que vivo tendo problemas com departamentos jurídicos. O curso de direito seria interessante. Certo que eu tentaria agilizar os processos jurídicos através de software.  

Claro, muitos dirão: Você não precisa de uma graduação em direito para fazer um software de gerência de processos jurídicos. Óbvio que não! Mas a probabilidade de você ter uma sacada diferente conhecendo melhor o ramo de seu cliente é muito grande. Qualquer um pode fazer qualquer software, qualquer um pode fazer algo diferente, qualquer um pode fazer algo melhor, mas só aqueles que entenderem seus clientes e investirem no " conjunto da obra ", podem fazer do software um sucesso.  

Posted in May 17, 2015 by Vitor Pamplona - Edit - History

Showing Comments

Não concordo....

pra mim... se vc estudar 4 anos outra coisa apenas fará com que vc seja um kara mais ou menos em duas coisas diferentes... agora se vc estudar 8 anos em uma coisa só ficará muuuuuito bom em uma coisa... com certeza ganhará mais!!! e é isso que importa não é!?!?

o importante é trabalhar com o que gosta e ganhar bem... eu já trabalho com o que gosto (computação).. com certeza se eu for muuuito bom em computação vou ganhar bem!!! moral da historia, vou focar meus esforços todo em computação (no que eu gosto)....

pra que estudar direito?? medicina??? agricultura???? não concordo com vc vitor... acho q só se dá bem quem é realmente bom em alguma coisa.... e não quem é um quebra galho em " tudo "...

[] ´ s

- - Felipe Regalgo

- - Posted in Oct 11, 2008 by 189.46.112.216

Oi Felipe. Quem disse que não se pode ser realmente bom em duas áreas? Nada impede isso.

Se você ficar estudando 8 anos a mesma coisa o que você vai ganhar é um ponta pé na bunda. Vai por mim.:)

Nunca é bom quando o seu conhecimento fica limitado a uma única área, mesmo que seja uma grande área e que ela mude muito. É como usar um cabresto.

Além do mais, a idéia do post é uma alternativa as opções do João. Eu continuo indicando um BOM Mestrado antes de uma outra faculdade, mas se a pessoa não tem como entrar num BOM programa de Mestrado, a outra faculdade é uma solução interessante. O que não pode acontecer é ficar sem estudar nada.

[] s

- - Posted in Oct 11, 2008 by Vitor Pamplona

Se vc fizer outra graduação em uma área relacionada, não vai gastar quatro anos. É muito provável que seja possível aproveitar um bocado de disciplinas.

valeuz...

- - Marcos Silva Pereira

- - Posted in Oct 13, 2008 by 189.81.127.208

Vitor, faltou cases...

O mercado precisa de objetividade. Se você for um especialista em informática a empresa não irá lhe contratar para cuidar de nada relacionado à direito. Mesmo que tenha uma graduação em direito, ela vai contratar um especialista em direito. Não existe especialista em dois temas tão distantes.

Não sei qual é a sua experiência sobre esse tipo de contratação, mas converse com um profissional de RH. Faça uma pesquisa melhor (o via6 é um ótimo site para isso).

O tema abordado é muito bom, mas a maneira simplista / romântica que você o delineou, pode ser uma péssima opção para quem precisa se orientar sobre o assunto.

- - Luiz Aquino

- - Posted in Oct 13, 2008 by 201.79.57.87

Oi Luiz

Esse tipo de pessoa é muito rara, por isso não tenho cases, não conheço ninguém o suficiente para tirar conclusões. Mas o José Oliveira parece estar se dando bem em duas faculdades: http://joseoliveira.com /, você pode perguntar pra ele se desejar.

> Mesmo que tenha uma graduação em direito, ela vai contratar um especialista em direito

É provável que sim, mas quem você acha que vai liderar os especialistas em direito?:)

[] s

- - Vitor

- - Posted in Oct 13, 2008 by 143.54.13.191

Eu acho valida a idéia, já pensei diversas vezes em fazer um curso de administração, trabalhei muito tempo com automação comercial e um pouco com ERP, em que, na nossa área, quem não quer ser um mero programador, tem que conhecer das regras de negocio, tem que entender em que vc está trabalhando.

- - Pedro Henrique

- - Posted in Oct 13, 2008 by 200.238.74.179

Eu acho valida a idéia, já pensei diversas vezes em fazer um curso de administração, trabalhei muito tempo com automação comercial e um pouco com ERP, em que, na nossa área, quem não quer ser um mero programador, tem que conhecer das regras de negocio, tem que entender em que vc está trabalhando.

- - Pedro Henrique

- - Posted in Oct 13, 2008 by 200.238.74.179

Vitor,

Concordo com você. Tenho uma graduação em informática, um MBA em Gestão de Negócios e ano que vem finalizo o curso de Direito. A minha intenção é trabalhar, como advogado ou professor, com Direito da Tecnologia, área ocupada hoje normalmente por quem tem graduação em Direito e uma especialização em Informática. Neste ponto também entro com uma bagagem maior com os atuais profissionais para trabalhar, por exemplo, como advogado, em empresas de tecnologia. Todavia, são duas graduações com uma promissora relação.

Entretanto, os meus passos distanciam-se da informática no questão de programação, desenvolvimento... por uma questão pessoal.

É preciso ter cuidado com o super-especialista em determinada área da informática. Este mundo muito rápido e é perigoso ser o ban-ban-ban de algo que poderá se tornar obsoleto.

- - Glaydson

- - Posted in Oct 14, 2008 by 189.13.30.131

Tem que se tomar cuidado para não ser o profissional pato - ele nada, voa, corre e bica - mais nenhum faz bem feito!;)

- - Diogo Bastos

- - Posted in Oct 14, 2008 by 201.56.58.114

Outro case: Glaydson Lima - http://www.navegantes.org /

- - Vitor Pamplona

- - Posted in Oct 14, 2008 by 143.54.13.191

Creio que seria legal outra faculdade se não tiver contente com a graduação atual, mal sobra tempo para aprender coisas novas em TI, imagine em direito, que há atualizações constantes na lei, direito é tão dinâmico quanto TI, então pense bem, melhor seria uma POS ou Mestrado, mas bem feito, e graduação enchem muita linguiça, pouco de fato é aproveitado no dia a dia, teoria e prática são duas palavras diferentes e bem distantes da realidade.

- - Carlos E. Silva

- - Posted in Oct 15, 2008 by 201.24.185.23

" Quantos bacharéis, em computação e em direito, você conhece? "

Perdi o contato com 6 pessoas (entre ex-colegas de trabalho e ex-colegas de curso) que estudavam bacharelado em direito, mas creio que metade deles jah se formou.

Nada de querer entender licenças de software ou cuidar de processos voltados para o mundo sem fronteiras da internet. O objetivo deles era claro: estarem aptos a fazerem concursos publicos para promotor, juiz, delegado, etc. Alem de obterem mais " vantagem " em relacao a outros candidatos em concursos para " diplomados em geral ".

Jah ouvi uma frase absurda de um funcionario publico: " pode me dar uma pilha de papel pra carimbar que fico o lah o dia todo, mas que no final do mes depositem meus 10 mil ".

Talvez um pouco triste, mas o mundo para muitos eh menos romantico e mais reali$ta.

- - - -

- - Posted in Nov 13, 2008 by 129.88.39.113

Prezado Vitor,

Achei muito interessante o debate sobre a segunda graduação, existem areas como economia, administração, contabilidade, engenharia, onde a grade curricular ja é feita para que o aluno opte pela segunda graduação em 2 anos, reduzindo pela metade esta segunda graduação.

Agora para areas distintas, como [informatica vs direito], [informatica vs medicina], acredito ser uma opção para quem deseja empreender e criar um novo nicho ~

Na sua divisão inicial do texto: " academia ou mercado " faltou a parte... empreender... seu texto esta ótimo para os empreendedores que precisam de inspiração para inovar... acredito que:

o mercado quer o " cara " como um cavalo que corre pra frente carregando o que pedirem para carregar, e que só ver a cenoura que colocam na sua frente, sem olhar para os lados e ver as possibilidades e estar além do seu departamento.

Cada um tem um perfil. O mundo precisa de novos empreendedores, nunca tivemos tanta informação e liberdade, para fazermos novidades.

Sou Baicharel em Direito, o curso tem duração de 5 anos e se for levar adiante ainda tem o EXAME da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) que é composto de duas fases.

Para o objetivo de interagir com informatica, curso de extensão ou curso de curta duração... (assim vc não vira o tal " PATO " dos cometários acima) em areas procedimentais como:
Direito processo civil
Direito processo penal
Direito Processual do Trabalho
são oferecidos por universidades e instituições. Assim vc terá uma visão sobre os procedimentos judiciais, podendo elaborar um excelente programa para advocacia. A parte Material do Direito, é extensa para alguém de outro mundo que não o juridico.






- - Alexandre Uno

- - Posted in Nov 27, 2008 by 200.161.6.106

Tenho um case bem interessante.

Um colega meu trabalha para uma empresa que desenvolve software para o mercado financeiro. Ele já tinha Mestrado e algumas certificações. O que mais lhe faltava? Bem, talvez nada. Mas ele decidiu fazer uma pós em economia. E o que aconteceu? Ele se tornou o funcionário mais valorizado da empresa. Seu salário praticamente dobrou. Pois ele era o único que conseguia conversar bem com os dois lados (desenvolvimento e cliente).

Pelos comentários acima, podemos notar que tem gente bitolada só na área de tecnologia.

Open your mind!

- - Antonio

- - Posted in Jan 7, 2009 by 161.148.142.198

Concordo com o autor do texo!

O mundo globalizado e plural em que vivemos exige que bons profissionais tenham formação INTERDISCIPLINAR, ou seja, não estejam fechados em seu mundinho, mas tenham a cabeça aberta para enchergar o que " especialistas " de um só assunto não vêem.

Ser bom em diversas * áreas e ser ótimo * em uma delas! Isso é bem possível benéfico. Capacidade as pessoas têm sim. O que falta é que se conscientizem disso e busquem essa profissionalização mais completa, sábia e útil.

- - Wellington A.M.

- - Posted in Mar 16, 2009 by 189.91.229.111

Olá, tenho 22 anos e faço graduação em Direito. Meu objetivo é fazer uma segunda graduação paralelamente em Ciências Sociais, pois creio que ambas se relacionam, depois fazer PÓS em ambas (Penal e Ciência Política). Acredito que assim meu curriculum seria mais plausível. Porém a grande pergunta seria a mesma descrita por um dos nossos colegas; no mundo em que vivemos, não seria melhor fazer concurso público do que PÓS, Mestrado, DOUTORADO, ETC?
No meu ponto de vista, me desculpem os outros colegas, mas ainda creio que duas ou mais graduações ainda sim te diferencia dos demais e te dão maiores oportunidades no mercado de trabalho.
Mesmo assim gostaria de opiniões sobre o assunto. Valeu!!!

- - Marcos Barros

- - Posted in Mar 18, 2009 by 189.12.244.80

Sou formado em farmácia e estou fazendo Mestrado, mas o cenário da profissão não é motivante. Estou planejando desistir do Mestrado e fazer medicina. Assim, devo estar formado nas duas graduações aos 30, 31 anos. Não acho que será uma má decisão. A realidade profissional será outra, e em se tratando de realização pessoal e profissional, acredito que quem tem a possibilidade e motivação para tal, deve sim voltar para a dura vida de estudante.

Existem pessoas que só obtiveram sucesso profissional depois dos 30 ou 40 anos, e não podemos afirmar que essas pessoas estão insatisfeitas por não terem sido bem sucedidas aos 20 e poucos.

Mas podemos afirmar que quem não estava satisfeito aos 20 e ainda não estiver satisfeito aos 40, vai se arrepender ter se acomodado com algo que não lhe realizava por completo.

- - Senhor X

- - Posted in Aug 30, 2009 by 189.105.149.153

Oi, gente acompanhei o debate, esse assunto que foi colocado em pauta e muito interessante, pois nesse nosso mundo globalizado há um leque de opções e as informações se espalham e se desevolvem de maneira inesgotável, a dinamica do mundo atual e contagiante e ao mesmo tempo assutadora.
Na minha opinião, quem tiver interesse em fazer uma segunda graduação ou um especialição (pós, Mestrado, mba) faça pois a vida estar presente nas universidades, o mundo pulsa com grande energia, e você não pode parar a sua busca pela satisfação pessoal e profissional e algo que deve ser sempre analisado na caminhada de nossa vida. a estagnação intelectual e algo desprezivel, devemos sempre esta ativos e em busca de metas. Nunca desanimem, sejam pacientes, nesse mundo hoje o que esta faltando e abtração de paciencia, poucos há tem.
A vida e um começo de jogo de números, quando se alcança aquele determinado número outro aparece. sempre haverá questionamentos e desafios serão sempre bem-vindos a pessoas que estão dispostas a estarem sempra ativas intelectualmente.
grande abraço a todos =)

- - larry lavin

- - Posted in Nov 16, 2009 by 189.1.29.162

Olá!

estava buscando informações sobre uma segunda graduação e cheguei aqui! Bem, sou formada em Secretariado Executivo e estava com uma duvida sobre fazer pós ou uma outra graduação. Analisei, pesquisei e colnclui que para mim a segunda graduação vai ser importante. Tenho 21 anos e sou Secretária Executiva financeira na empresa que trabalho vou fazer o curso de Contabés. Estou confiante que com isso meu curriculo será mais valorizado! Pretendo logo apos fazer um Mestrado, estarei mais preparada.

Gostei muito do texto!

- - Priscila

- - Posted in Jan 14, 2010 by 189.105.97.170

queria saber se eu me formace em direito eu poderia fazer uma pós graduação diferente... ou é melhor fazer outra gradução

- - priscila

- - Posted in Mar 14, 2010 by 187.1.73.118

Vejo que tudo no ensino superior gira em torno de uma realização pessoal, uma profissional e outra financeira $. Estando todas ligadas seria ótimo um Mestrado. Se uma delas não estiver sendo satisfeita teremos a eterna vontade de mudança. A mudança levará certamente a outra graduação, seja éla de uma area correlata ou não. " Não devemos nos enganar, pois falta da mudança nos bloqueia e nos gera frustação.
Sou formado em Física por uma federal, adoro estudar física e sou um ótimo professor, mas não vejo muita espectativa profissional e salarial como professor. Sempre opinaram que eu deveria seguir a carreira, mas ninguem é eu, e trabalhando ví como nosso pais trata os poucos professores que tem! Meus colegas estão estagnados e frustrados, não participam de qualquer movimento por melhora etc... Não vejo mudanças acontecendo!
Decidi! Agora vou fazer Engenharia e eliminar todas as matérias de Cálculo, Física, Química. Serei um ótimo engenheiro, e um professor a menos no mundo! Aplaudam Políticos!! rsrsrs

- - Posted in Mar 18, 2010 by 187.4.192.192

Também sou professora de Física, fiz Mestrado, adoro computação e compartilho dos sentimentos que o colega mencionou anteriormente. Vejo que me especializar na carreira de professor não gerará nenhuma satisfação pessoal e nem profissional. Obrigada Vitor pelas dicas. Você, apesar de bem jovem tem uma visão bastante madura da vida. Parto para outra graduação em 2011.

- - Professora

- - Posted in Apr 22, 2010 by 189.98.63.80

O posicionamento do Vitor é interessante. Ainda mais quando o mercado busca pessoas que não são limitadas.Parece loucura, mas fiz duas graduações em Direito, duas especializações em Direito e estou partindo para o Mestrado. Estudo Direito com uma nova influência - a tecnologia como meio eficaz alternativo à pena de prisão.
luciano.oliveira.jus @ hotmail.com

- - Luciano Tourinho

- - Posted in Jul 18, 2010 by 187.117.182.45

Sou formado em Eng ª. Ambiental, apesar de a questão ambiental ser muito debatida hoje em dia, o mercado de trabalho para este profissional ainda está muito fechado. Em virtude disso, em 2011 inicio uma nova graduação em Eng ª Florestal ou Civil e acredito que a segunda graduação irá me trazer mais segurança e satisfação.

- - elton

- - Posted in Jul 20, 2010 by 201.25.210.122

Pessoal,

Vi os comentários... o assunto é polêmico mesmo. Estou pensando em uma segunda gradução - engenharia elétrica.

Isto porque fiz curso de eletrotécnica e acabei fazendo administração de empresas (um erro que descobri posteriormente).

Trabalho em grandes empresas do setor elétrico a 13 anos (6 como técnico e 7 como administrador) e adoro que faço (comercialização de energia e regulação).

Mas apesar de ter duas pós-graduaões, participar de discussões técnicas com engenheiros, ter evoluido muito, ter conseguido atuar em áreas nobres e ser reconhecido profissionamente - Chegando a Especialista de Regulação, percebo que não ter graduação em engenharia estaria me limitando subir na hierarquia.

Confesso que estou pensando muito. Adoro engenharia e gostaria muito de faze-la. Mas o receio é se seria um tempo que poderia utiliza-lo melhor...

Abraços aos colegas de discussão.

- - Victor Hugo

- - Posted in Aug 15, 2010 by 201.29.222.116

Olá pessoal,

Ótimo assunto!
O mais importante é fazer o que se gosta de maneira eficiente e ainda ser pago para fazer isso!

Se for necessário fazer uma segunda graduação? Então faça, pois isso vai ajudar a lidar com as dificuldade de interação, além de tudo, te colocar em um lugar de destaque. Então, faça!

O que é mais importa é você ter uma formação técnica e ser bom nela, você nunca ficará sem dinheiro e sem nicho de mercado, mas com duas você vai descobrir outros nichos além dos tradicionais. Logo você será um empreendedor!

Digo isso por experiência própria, pois sou engenheiro, desenvolvedor e professor, tenho uma fábrica de software em casa, estou terminando um Mestrado em engenharia e descobrir um ninho de mercado que não é valorizado pelos profissionais de TI, pois não sabem como lidar com determinados assuntos de engenharia, mas que o mercado necessita e não tem ninguém para olhar por eles.

Por isso estou tão cheio de projetos que já não estou dando conta, vou começar a formar e contratar parceiros para o meu empreendimento. Então, quanto mais conhecimento sobre o que se faz, melhor será sua visão sobre o mercado.

Isso pode vim de várias maneiras, de uma segunda graduação, de uma pós, Mestrado / doutorado. O que importa é o conhecimento!

Estou pensando no ano que vem fazer uma graduação em TI, para aprimorar conhecimentos e aplicá-los.

Meu sonho era ganhar dinheiro dormindo, e hoje consegui. Como? Através de serviços para mercado de engenharia utilizando os recurso de TI via Web, onde eles me pagam mensalmente!

Quando era criança só se falava que o futuro seria " a prestação de serviços ", bem o futuro chegou e eu entendi o recado, agora é comigo! Logo, para isso a informação e o conhecimento são importantes, então, obtenha-os!

Um abraço!

- - Mauricio Carvalho

- - Posted in Jan 12, 2011 by 200.17.51.106

Olá, tenho 23 anos sou recém formado em Ciências da Computação e ja estou cursando o curso de Direito.

Estou muito focado em concursos, mas o que me trouxe a lhe mandar este e-mail é que eu estou pensando numa terceira graduação paralelo ao Direito (Ciências Contabéis, que seria uma matéria complementar em vários concursos), farei este curso pelo ensino a distância que não pesaria muito, pois são 2 sabados por mês (não quero entrar no mérito da qualidade do ensino).



Vou resumir minha dúvida:



Estou fazendo o curso de direito e prevendo também o curso de Ciências Contabéis para me enriquecer nos concursos e ao mesmo tempo pensando em ser profissional do competitivo mercado de trabalho, pois se eu não tiver sucesso nos concursos quero levar essas graduações como empreendedor, meu pai é empresário na cidade no ramo de panificações. Caso eu nao tenha sucesso nos concursos, voce acha que a união dessas 3 graduações me ajudariam como empreendedor / administrador.



posso ser multifunções:

Cuidaria de toda a estrutura de informatica e futuras manutenções.

Saberia agir dentro da lei com o conhecimento adquirido no curso de direito e ser o próprio advogado da empresa quando necessário.

Ser contador APENAS das empresas do meu pai, pois ser contador de outros me consumiria tempo e responsabilidade. (por isso a escolha de um curso a distancia, pois o que me interessa no curso além de aprender é tirar o CRC).

Depois de todas essas informações no que voce pode me ajudar.


- - Dyego Borges

- - Posted in May 3, 2011 by 201.58.121.58

Muito legal, não apenas o texto mas também os comentários.

Muito obrigado a todos que contribuiram no debate, me deram muito sobre o que pensar.

Eu estou com uma dúvida semelhante: estou me encaminhando para a conclusao do curso de Engenharia Elétrica (previsão de término 2013/1) e já penso em uma segunda graduação na área de informática (Engenharia da Computação, Ciencias da Computação ou Sistemas de Informação / Análise de Sistemas) no entanto tenho receio que uma segunda graduação me tome o tempo e dinheiro equivalente que uma pós graduação tomaria mas não me conceda o mesmo reconhecimento profissional e retorno financeiro que a mesma.

Creio que teria um prazer especial em cursar algum curso de informática pois sempre gostei muito desta área (sendo que na Engenharia Elétrica tive muito contato também com esta área, sendo que em qualquer dos cursos já teria eleminado algumas disciplinas em comum, em espcial na Engenharia da Computação), no entanto como já comentei tenho receio pois esta satisfação pessoal não seria maior que a frustração de perceber que estaria melhor posicionado no mercado se tivesse dedicado meu tempo a uma ou mais pós graduação.

Então ainda tenho 2 anos para pensar melhor e análisar o mercado, mas creio que a decisão pela segunda graduação esteja pesando mais (mais pela preferência pessoal do que por uma decisão lógica). Calculo que se cursasse Engenharia da Computação ou Sistemas de Informação demoraria uns 2 para conseguir a segunda graduação, já Ciências da Computação demoraria um tempinho a mais. Então como vêem além da duvida em relãção a cursar uma segunda graduação tenho duvida tambem em relação a qual curso escolher.

Abraço...

- - Higor Pascoal Melo

- - Posted in Jun 29, 2011 by 201.40.163.192

Olá Pessoal!

Meu nome é Flávio Sant'Ana e estou me graduando em Administração na PUC; Apesar da minha pouca idade (18 anos) acredito conhecer muito á respeito de cursos de Graduação, Pós, Mestrado, Doutorado, MBA, Pós-MBA, enfim.. São tantas as possibilidades que muitas vezes ficamos sufocados e sem foco algum. Tenho uma Professora que tem 3 Graduações e 2 Pós; Segunda ela é interessante que você varie, e abra o leque de opções. Certamente é melhor que se especializar em apenas uma área. Hoje, muitos especialistas afirmam que vivemos na era da Multi-Especialidade, dessa forma, é imprescindível sabermos de diversas áreas.

Acredito ter ajudado,
Atenciosamente.

- - Flávio Sant'Ana

- - Posted in Jul 4, 2011 by 200.234.108.34

Me ajudem a me decidir: sou formada em letras e professora na rede pública... não estou muito satisfeita com a area da educação. Penso em fazer Psicologia. O que acham? Tem a ver com a educação e mudaria de área... Por outro lado, penso em pós, Mestrado na área de Letras mesmo, mas para dar aulas no Ensino Superior, pois ser mestre e dar aulas para Educação Básica, ninguem merece...

- - Profe

- - Posted in Sep 19, 2011 by 187.91.253.107

Achei fantástico tanto o texto quanto o debate realizado pelos demais.
A maioria deu testemunho das próprias dúvidas e questionamentos que o mundo atual gera em absolutamente todos nós. O que queremos fazer pro resto da vida?!?? Nem sempre sabemos na primeira graduação.

Mudando um pouco o foco da utilidade da " segunda graduação "... Sempre achei que o ' trajeto escolar ' tal como se estrutura há tanto tempo é muito difícil para a grande maioria dos estudantes... Com 17, 18 anos ter que se decidir quanto a profissão q se quer seguir para o resto da vida?! O que se sabe com essa idade?! Nada! O que vc acha q lhe deixará pessoal e profissionalmente realizado?? É uma responsabilidade de muito peso pra um adolescente carregar!!! Muito embora no momento da escolha, o jovem talvez não saiba disso, não preveja as consequencias e / ou nem vá pensar que foi um erro até chegar no mercado de trabalho.
Vejo muitos estudantes optarem por cursos que sonharam fazer desde pequenos, simplesmente por terem associado a uma história de vida (o pai, o avô, um ícone da televisão, um ídolo), ou por pressão dos pais (como direito ou medicina) ou mesmo por não ter orientação nenhuma!!! Mas no fundo nem imaginam como vai ser depois....
Ninguém nunca me orientou da maneira certa sobre que profissão eu deveria seguir.... Meus pais achavam q eu tinha q seguir meu coração e fazer o que gostasse! Eu tinha o sonho de fazer medicina, sempre quis... no cursinho desisti para fazer veterinária (até hoje não me recordo bem porque...), entrei numa ótima escola e comecei a cursar! Durante o curso nunca tinha parado pra pensar em trabalho... eu nem lembrava dessa parte, bem dizer. E agora... solta no mercado de trabalho, atuando na minha profissão, me bate essa dúvida infeliz diariamente: e se eu tivesse feito medicina?! seria mais feliz?!
Infelizmente precisamos lembrar que associar o útil ao agradável ainda é a melhor opção. Não adianta só fazer o que se gosta... tem que ser algo que te dê um retorno (não só financeiro, mas pessoal!) para o futuro! Vet é uma carreira linda.... mas que ganha ($) quase o mesmo que um lojista! E precisa estudar horrores... os cursos de pós graduação são caros e vc as vezes ganha um pouco mais por mês do que precisa pagar... os strictu sensu (Mestrado, doutorado) exigem q vc praticamente não trabalhe p / poder comparecer a universidade diariamente. E quem não pode depender dos pais?
Bem... ouvi uma vez um psicólogo dizer algo tipo... " Devemos fazer o que SOMOS BONS em fazer... e deixemos o que gostamos MUITO de fazer para o lazer e para o hobby, pois assim será algo prazeroso. Se trabalharmos rotineiramente com o que gostamos de fazer, enfrentaremos o estresse do dia-a-dia... e aquilo deixará de ser algo que gostamos ".

Enfim... concordo em genero, numero e grau com o autor do texto e com todos que deram suas opiniões positivamente... Já me matriculei no cursinho, e se tudo der certo farei minha próxima faculdade.... de Medicina! E não importa quanto tempo leve... porque o principal é que eu sei o quanto é duro fazer algo que te faz sentir " vazio " e " inaproveitado " E portanto, não farei o resto da vida apenas por comodismo.


- - Vet

- - Posted in Oct 5, 2011 by 201.52.122.119

Nada a ver.
É melhor ter 2 cursos do que 1.

Vai me dizer que ter apenas 1 curso é melhor do que ter 2? E medíocridade por medíocridade, a maioria dos que ficam 8 anos fazendo apenas 1 curso são profissionais medíocres da mesma forma.

- - Paulo

- - Posted in Oct 19, 2011 by 189.83.24.149

Caros amigos,

Muito interessante o debate e acredito que se a pessoa não tiver satisfeita com o emprego, seja salário, o estilo propriamente dito, dos colegas, etc, etc, etc, devemos procurar novos caminhos.

A minha realidade é a seguinte:

- Comecei a graduação de matemática e logo no meio do curso passei em outro vertibular, que além de ter uma graduação, já tinha o emprego público garantido.

- Hoje, sou bacharel em ciências militares

- Sou Tenente da PM, com salário de mais ou menos R$ 7.000,00 (o que dá para viver, além de que quando me aposentar, estarei provavelmente ocupando o posto de coronel com todas as vantagens quanto a vencimentos.

- No entanto, apesar da satisfação salarial, ano que vem vou fazer faculdade de engenharia civil, pois sempre gostei de números... e se tudo der certo, serei uma engenheira ao invés de policial (mesmo sendo emprego público, remuneração razóavel e programa interno de crescimento na empresa... tenente, capitão, major, tenente coronel e coronel)

Acredito que a vida é passageira e não quero chegar aos 40 frustrada (hj tenho 28.

Entrar no mercado de trabalho com uma certa experiência de vida conta muito...

- - Marluce

- - Posted in Nov 23, 2011 by 189.83.103.74

O comentário do primeiro camarada do início da página deixa claro que o mesmo não tem " visão ", acho que ele precisa aprender muito ainda! Precisa aprender muito de mercado, de mundo, de tecnologia... pra não dizer outras trocentas importâncias globais! Só sendo leigo pra não entender o que o autor quis dizer com o texto.

Sucesso para aqueles que entenderam!!!

Abraço.

- - Ricardo

- - Posted in Dec 29, 2011 by 187.15.180.115



- - Adson Costa

- - Posted in Jan 20, 2012 by 189.104.5.171

Sei da importância de uma graduação, mas o colega é infeliz ao descartar o valor das certificações em TI. De certo existem certificações que não possuem valor, mas pode perguntar para qualquer profissional de redes o valor de uma certificação CCIE, da Cisco. Ou pergunte a um profissional DBA a importância de uma OCM, da Oracle.
Tais certificações tem pesos muito maiores do que QUALQUER graduação / pós / Mestrado, para quem atua na respectiva área de redes ou DBA.
Não devemos ter " cabeça fechada " e generalizar as certificações como coisas sem valor.

Abra sua mente!

- - Anon

- - Posted in Jan 29, 2012 by 187.91.184.6

Bom, gostei do assunto que foi colocado em debate. Sou formada em um curso técnico em estilismo, e por 4 anos após concluir fiquei afastadas dos estudos por minha condição financeira, agora que finalmente encontrei um trabalho em minha área vou voltar aos estudos. Tenho 24 anos e na metade vou começar uma 2 graduações, uma em designe de produto (4 anos), e junto fazer uma graduação a distância de marketing (2 anos). Minha pretenção é com 29 anos ter as duas faculdades, e uma pós ou Mestrado. Bom, o caminho é longo, e se eu parar para ouvir a opinião dos outro apenas faria uma faculdade, pois as pessoas são acomodadas, e pelo fato de não conseguirem levar a serio o suficiente para dar conta de 2 faculdades, acham que ninguem mais consegue, e se eu nunca tentar é claro que nunca vou conseguir. Acho que 2 faculdades só tem a acrescentar, estudo nunca é demais.


- - Rafaela

- - Posted in Jan 30, 2012 by 200.138.198.170

concordo plenamente com o autor deste artigo, eu sou biologa e mestre em saude publica, e tenciono fazer medicina para juntar o util

Parabens
Vitor

- - Kayana

- - Posted in Feb 9, 2012 by 220.52.22.12

Aprovado a idéia de uma segunda graduação.
E justamente estava pensando em tal assunto, pois vou concluir a primeira faculdade esse ano de sistemas de informação inclusive quero linkar duas áreas no meu tcc Administração e Sistemas de Informação (Apesar de não ter definido meu tema ainda, aceito idéias.srsr), algo mais gerencial.
Contando com isso, já estou me preparando para concluir sistemas e fazer administração onde elimino matérias e faço em 2 anos e meio mais ou menos dependendo a grade.
Estive preocupado com as certificações também, acho que valem a pena também, depende do seu objetivo.
Penso em uma pós também posteriormente a esses dois cursos e quanto ao direito citado no texto, eu acho bem interessante também, todo ser humano deveria cursá-lo, pois é um curso que abre a cabeça devido ao que Você, como cidadão deve saber sobre seus direitos e deveres, seguir a carreira seria uma opção.

- - Joseph S. Braga

- - Posted in Feb 28, 2012 by 189.112.8.209

Olá, meu nome é Marco e sou formado em Analise de Sistemas há mais de 10 anos, trabalho no ramo com sistemas ERP, porém minha vontade inicial era Arquitetura e agora estou pensando em realizar esse sonho, trabalhei nesse ramo também... gosto da área... qual a opinião de vocês sobre isso, sou casado e tenho dois filhos, moro numa cidade e trabalho em outra, e a faculdade fica numa outra cidade... coisa de louco, será que aguento?

- - MAG

- - Posted in May 7, 2012 by 200.205.72.129

EU PENSO QUE A PESSOA FAZ OUTRA FACULDADE OU UMA POS-GRADUAÇAO SE QUISER ENTENDEU SE A PESSOA JA TIVER UMA FACULDADE JA TA BOM TA BEM TEM OUTROS CURSOS IMPORTANTES PARA FAZER.TIRAR CARTEIRA OU FAZER UM CURSO DE INGLES.FAZER FACULDADE OUTRA FACULDADE SO POR BONITEZA E PORQUE AS OUTRAS PESSOAS FAZEM E PERDER TEMPO E DINHEIRO.A PESSOA TEM QUEM PENSAR SE VALE A PENA POIS GASTA DEDICAÇAO, TEMPO E DINHEIRO.

- - anonimo

- - Posted in Nov 27, 2012 by 186.245.169.90

Ola meu nome è Luigi e passei em fisica bacharelado esse ano porem eu tambem gostaria muito de cursar alguma engenharia, eletrica ou mecanica, pois eu tb gosto muito dessa area mas principalmente porque da muito mais dinheiro.
Portanto eu gostaria de perguntar se vale a pena fazer fisica e depois engenharia.
Alem disso eu gostaria de saber se realmente è verdade que quem se forma em fisica, depois so precisa cursar mais dois anos de engenharia para se formar?

Agradeco se responder.

- - Luigi

- - Posted in Jan 14, 2013 by 187.64.180.103

Para onde estamos caminhando?
Se analisarmos 50 anos atrás no Brasil, quem tinha um curso de graduação seja ele qual fosse poderia se dizer privilegiado em relação a emprego e salário. Passados esses anos o que vemos hoje é um mercado de trabalho saturado nas mais diversas áreas de atuação. Resultado de uma desenfreada e avassaladora abertura de cursos de graduação, onde o que se visa é apenas o interesse financeiro sobre as pessoas. Em momento algum as Instituições preocupam-se em formar profissionais de qualidade e que sejam críticos e conscientes capazes realmente de criar e não apenas copiar o que já existe.
Reflexo disso é a proliferação de cursos de Pós Graduação que muitas vezes para nada servem apenas para preencher um currículo cada vez mais vazio.
No que se fala a respeito de ter 2 ou mais graduações sou inteiramente a favor. O que devemos levar em consideração e se este novo curso realmente vai agregar ou seja, suprir o que o primeiro não foi capaz de fazer, seja tanto na área salarial, quanto na questão de realização como pessoa.
Sou formado em Engenharia Florestal, e não estou contente financeiramente e nem pessoalmente com esta profissão. Muito se fala em Meio Ambiente e várias questões relacionadas ao tema, mas à realidade é que pouco ou quase nada se faz por essa questão, contribuindo para que o mercado de trabalho não tenha demanda por este tipo de profissional.
Vejo uma quantidade enorme de cursos sendo abertos nas universidades com nomes lindos, promessas de serem as profissões do futuro, mas no entanto não existe o mínimo de pesquisa para saber se o mercado de trabalho vai absorver esses futuros profissionais que sairão com ânsia de aplicar os conhecimentos adquiridos na graduação e com ânsia de serem recompensados por seus esforços.
Att


- - Marcelo

- - Posted in Feb 26, 2013 by 179.165.249.30

Interessante ponto de vista foi este comentário sobre a segunda graduação. Tenho 42 anos, e após algum tempo resolvi acrescentar algo à experiência profissional de engenharia eletrônica, onde atuo desde 1993. E prestei concurso pelo ENEM / Sisu na UFPR, até para acompanhar meu filho que está em idade concurseira. De fato, algumas áres padecem de apoio ou facilmente se tornam obsoletas, sejam por razões de mercado, ou por razões pessoais. Assim, refleti sobre o Mestrado ou especializações, contudo, conforme constata o comentário principal, há situações e condições propícias para se escolher um segunda graduação. Por que não? Chega o tempo em que a maturidade o torna mais decidido e determinado a escolher o que mais lhe agrada, e o que mais lhe falta. Talvez haja os inconvenientes dos estágios obrigatórios e a inerente diferença de idade, mas por outro lado, é uma oportunidade e visão alcançada por poucos.


- - Edilson

- - Posted in Feb 26, 2013 by 129.179.0.145

Adorei a matéria. Sou formada em Direito e estou pensando em fazer Administração. Gosto dessa área de empresas e quero me especializar em direito empresarial. O bacharelado em Administração pode me abrir novos caminhos, que pode ir muito além de uma pós de Direito Empresarial. Meu começo de carreira tem sido muito difícil, não imaginava que era assim.

- - Tata Freitas

- - Posted in Oct 12, 2013 by 186.194.107.113

Quantos arquitetos e engenheiros civis e futuros médicos vocês conhecem? Um. Eu. kkkkkk

- - Carlos

- - Posted in Dec 1, 2013 by 177.65.8.161

Add New Comment

Your Name:


Write the code showed above on the text below.