Vitor Pamplona

Innovation on Vision: Imaging , Enhancement and Simulation

Não Sabemos Pensar

Com seus recursos financeiros atuais e sem pesquisar na internet, como você calcularia a circunferência da Terra? Você seria capaz de resolver esse problema? Conseguiria pensar em uma solução? Pare de ler e pense! Pense. Pense. Continuar lendo, será a prova de que você não conseguiu resolver o problema.  

Contei esta história antes da palestra sobre mestrado no Café com o Tom. Me chamaram de nerd, mas eles entenderam o problema. Gosto de contar a história dos grandes homens da ciência para lembrar a todos de que, por melhores que somos, ainda não atingimos o nosso máximo.

O fato aconteceu próximo do ano 200 antes de Cristo. O grego Eratóstenes, filósofo, historiador, geógrafo, astrônomo, matemático, poeta e, nas horas vagas, crítico de teatro, trabalhava na Biblioteca de Alexandria, quando, lendo um dos pergaminhos do acervo, encontrou uma informação curiosa. Na fronteira externa da cidade egípcia de Siena, hoje Assuã, localizada sobre o trópico de cancer, havia um poço. Na maioria dos dias, sua parte interna não recebia a luz do sol, exceto no dia 21 de junho, o solstício de verão no hemisfério norte. Precisamente ao meio dia, quando o sol estaria a pino, podia-se ver o reflexo do astro nas águas do poço, iluminando-o completamente. Naquele momento, nenhuma das colunas dos edifícios em torno projetava sombra. Esta informação passaria despercebida por qualquer um de nos. Um fato banal, sem importância alguma. No entanto, Eratóstenes era um cientista, e como diz Carl Sagan " sua contemplação das coisas banais mudou o mundo e, de forma certa, fez o mundo ".  

Eratóstenes observou que no mesmo dia e hora, em Alexandria, 800km ao norte, as colunas projetavam sombras. Naquela época, a Terra era considerada plana, e a observação de Eratóstenes faria qualquer pessoa duvidar da veracidade do pergaminho. Se a Terra é plana e como os raios do Sol podem ser considerados paralelos quando chegam na Terra devido a distância entre os dois corpos celestes, a projeção da sombra, para dois objetos iguais, deveria ser igual em qualquer parte do planeta. Apostando na veracidade do pergaminho e em suas observações, o astrônomo chegou a uma conclusão: A superfície da Terra é curva e não plana como se acredita.  

Intrigado pela descoberta, Eratóstenes se perguntou: Se a superfície da Terra é curva, talvez a Terra seja uma grande esfera. Sendo assim qual seria o tamanho dela? Usando noções simples de trigonometria, ele calculou, através da sombra das colunas, a distância entre Alexandria e Siena em graus angulares de um círculo. Se imaginarmos uma coluna em Siena e outra em Alexandria, perpendiculares a superfície e dispostas até o centro da Terra, elas se interceptariam em um ângulo de 7 graus ou um arco de 1/50 de uma circunferência. Com estes dados, se ele soubesse a distância exata entre as colunas, uma regra de três determinaria circunferência da Terra.  

Eratóstenes, então, contratou um homem para medir a distância em passos entre as supostas colunas. Este homem ultrapassou as montanhas do deserto, anulando o aumento da distância em função da altura de cada montanha de areia, o Nilo e retornou com uma medida de 700 estádios. Um estádio é uma medida muito questionada pelos historiadores, no entanto, se utilizarmos a conversão egípcia, 1 estádio = 157.5 metros, a circunferência da Terra teria 39.690 km. Hoje, sabe-se que a circunferência da Terra ao longo do equador é 40.075km. Um erro de menos de 1%.

Eratóstenes calculou a circunferência máxima da Terra, num tempo em que ela era considerada plana, com uma grande precisão, e não usou mais do que seu cérebro e um homem. Um cálculo notável.

Voltando para a nossa época, imaginem que vocês trabalham numa empresa na qual um dos clientes seja a Nike. Em uma daquelas reuniões de orçamento do conselho executivo, um sujeito questiona a visibilidade da marca na internet. Afirma que os diretores poderiam dirigir suas campanhas de marketing com mais precisão se houvesse uma maneira de captar quais produtos estão sendo mais divulgados pelos próprios clientes na internet. Mais do que isso, seria interessante obter um índice de visibilidade do logotipo da marca, ou seja, o quão ele é visível e perceptível em cada imagem que ele aparece. O presidente então vira para você e pergunta: É possível obter tal índice?  

Veja que não adianta apenas procurar por Nike no Google images, pois somente as imagens com uma tag ou uma descrição " Nike ", escrita propositalmente pelos usuários, seriam retornadas. Ninguém coloca uma tag " Nike " em uma foto de aniversário só porque uma das pessoas na foto vestia um tenis Nike. Para encontrar o índice correto, você teria que varrer a internet, processar as imagens buscando o logotipo, determinar a visibilidade dele, o ângulo que ele aparece, e o quanto tempo um usuário médio levaria para notá-lo. Acredito que a Nike não teria problemas em lhe disponibilizar um cluster gigantesco para varrer a internet, então a pergunta seria: Você conseguiria implementá-lo? Será que é possível nos dias atuais? Você assumiria o imenso risco de fracasso? Você saberia pensar e resolver o problema?

Posted in Jan 27, 2009 by Vitor Pamplona - Edit - History

Showing Comments

Muito bom,,, será que a humanidade com as faclidades estão perdendo o jeito (desejo) de pensar,, será o filme " Idiocracy ", não é uma sinopse do nosso futuro...

- - Fábio P. Santos

- - Posted in Aug 10, 2008 by 189.117.211.172



- - Tulio Rodrigues

- - Posted in Aug 11, 2008 by 200.221.128.57

Materia muito boa, é de se adimirar como uma pessoa possa chegar a essas conclusões com pouca ou nenhuma ferramenta que pudesse confirmar o que foi deduzido. Minha opnião é que os pensadores de antigamente eram muito mais criativos e de certa forma inteligentes do que nos.

- - Tulio Rodrigues

- - Posted in Aug 11, 2008 by 200.221.128.57

Muito legal.... mas eu acho que Eratóstenes nos dias de hoje iria com certeza utilizar outros meios. Por sermos seres racionais (espero que sim... hehehe), sempre vamos procurar encontrar as soluções para os problemas do dia-a-dia da forma mais fácil e rápida (pelo menos deveria ser assim... hahah), procurando criar soluções padrões, que atendam a diversos problemas. Na nossa profissão vivemos utilizando frameworks desenvolvido por outros ou por nós mesmos, para facilitar a solução de problemas semelhantes. Eu não vou invertar a roda se ela já esta aí! Hoje em dia o mais importante é saber aonde esta as possíveis soluções, saber juntá-las e construir as que faltam, e apresentar a solução o mais rápido possível. Hoje o profissional não pode ser somente um excelente técnico, é preciso além da técnica, dominar / possuir outras habilidades, eu diria trocar a visão tecnissista pura por um visão mais generalista, etc.

- - Italívio Corrêa

- - Posted in Aug 11, 2008 by 201.15.66.180

Vitor, será que é vc que tem de fazer esse indice e ta tentando achar quem faz?

- - Valus

- - Posted in Aug 12, 2008 by 201.67.42.66

Não, meu projeto é bem diferente.

Mas quem fizer pode ficar rico:)

[] s

- - Vitor Pamplona

- - Posted in Aug 12, 2008 by 143.54.13.191

Add New Comment

Your Name:


Write the code showed above on the text below.