Vitor Pamplona

Innovation on Vision: Imaging , Enhancement and Simulation

Lixo entre os famosos

 Eu não sei se eu me tornei um cara chato, se sempre foi assim e eu nunca notei, ou se o mundo web está decadente, mas eu nunca vi tanto lixo rodando por aí. Talvez qualidade não seja o forte da comunidade mesmo, mas bem que poderiam fazer uma forcinha.

O mais engraçado é que, cada dia que passa, cresce a minha tendência de conhecer tecnologias desconhecidas, quanto mais obscuro, mais interessante ela se revela, e mais força ela tem. Aparentemente, uma grande parte do que é bom não é divulgado. A " fama " traz muitos problemas. O Java é um exemplo. Há alguns anos, praticamente ninguém (além da Microsoft e outros concorrentes diretos) criticava o Java, hoje até eu, que defendi Java com unhas e dentes, estou desapontado com ela e fazendo freqüentes críticas principalmente em relação a estagnação da tecnologia, da Sun, e da comunidade em torno dela.

Talvez essa reação faça parte do processo de aprendizado natural: Conheça, use, constate, critique, troque; e sou capaz de apostar que daqui a alguns anos estarei criticando severamente o Ruby, porém talvez essa reação seja proveniente do aumento do lixo dado pelo crescimento natural de uma tecnologia. Ou talvez de ambas, quem sabe.

Sim, há muito lixo por aí. Reparem nos frameworks MVC para java. todos fazem a mesma coisa, cumprem o que prometem. As diferenças giram em torno das APIs, do conceito de trabalho, de ícones e páginas melhores, no entanto, nenhuma destas diferenças gera um ganho significativo, tanto em qualidade de código, como em produtividade. Ousaria dizer que, nos tempos de hoje, o programador não precisa mais se adequar a tecnologia, mas sim a tecnologia se adequar a ele. Fato que não sei dizer se é bom ou ruim. Provavelmente é bom para uma única pessoa, mas ruim para uma equipe.

Mas voltando aos frameworks MVC, o ganho real, às vezes, até existe, mas é ínfimo, principalmente entre os frameworks mais conhecidos. Aqueles que estão fora da mídia são como pedras preciosas não lapidadas, ou como as boas oportunidades de negócio: se você souber entendê-las, poderá explorá-las até que se tornem conhecidas, depois saia do mercado, porque não valerão mais a pena. Como dizia o meu falecido pai: " Se a promoção que passa na TV ou na rádio fosse uma promoção de verdade, ela não seria divulgada. ". Comportamento semelhante se vê nas curvas de aprendizado: quando se passa da metade, quer dizer que você vai gastar mais recursos (tempo) para aprender cada vez menos. Dica: quando você passar da metade da curva, procure outra coisa para aprender.

O livro Pai Rico, Pai Pobre de Robert Kiyosaki e Sharon Lechter traz uma história interessante. Certa vez, Robert concedeu uma entrevista sobre seu livro, que recém se tornara um best seller . Durante a entrevista, a jornalista, que era PhD., revelou que achava injusto que um livro produzido por um homem como Robert, que nem tem pós graduação, vendesse muito mais que o livro dela própria, que tinha a instrução adequada para produzir livros. Robert pegou o livro, e apontou dizendo: " Vê o que diz aqui? Diz best seller , e não best book of... . ".

Concluindo, cuidado com os famosos. Eles são os best sellers . Embora seja tentador utilizá-los, até para seguir a massa, podem não ser a melhor opção.

PS: Internal Error: Devo excluir meu blog?

PS 2: Se não houvesse a plaquinha no desenho acima, quem subiria?

Posted in May 22, 2008 by Vitor Pamplona - Edit - History

Showing Comments

Excelente post! Concordo com tudo. No que se refere ao desenvolvimento de aplicações para a web, a tecnologia java e seus frameworks MVC estão meio estagnados. Apesar da experiência em java, resolvi utilizar o ruby-on-rails em um novo projeto que estamos fazendo. Sensacional e diferente de tudo que já existia! Já estou pensando em estudar DJango também.

- - Mário Sérgio Coelho Marroquim

- - Posted in Apr 11, 2008 by 200.254.127.130

Apesar da sua frustração com relação aos frameworks java, concordo com isso, eles estão defasados, não vejo o porque da citação do Pai Rico, Pai Pobre.
A comparação é um tanto quanto estúpida. No que ele quis mostrar, na ocasião, e que talvez, ela e nem você tenha entendido, é que uma pessoa com instrução e paradigmas formados academicamente não conseguiriam formar uma fortuna como de seu pai rico, que como deve ter lido no livro, nem graduação possuía.
O que muitos, inclusive eu, vem buscando, é como ganhar dinheiro até dormindo. Isso é a riqueza. O livro mostra que academicamente não temos instrução de como nos tornarmos independentes financeiramente. Ele não descarta o conhecimento acadêmico, mas também não defende, devido a experiência de vida que teve tomando decisões formadas como sendo a " melhores ".
Tecnicamente, o que eu compararia o conceito do livro, se é que podemos dizer assim, com o que Rails e Django vem tentando fazer no paradigma formado por meio de grandes empresas, que inclusive é o que mais se ensina no meio acadêmico (preparar você para ser um excelente empregado). Mas está realmente preparado para ser independente financeiramente?

Abraços,




- - Ronado P. Dias

- - Posted in Apr 11, 2008 by 201.27.236.7

O livro Pai rico, Pai pobre é um best seller, mas não é o melhor. Existem alguns livros que apresentam a mesma idéia de uma forma melhor.

- - Vitor Pamplona

- - Posted in Apr 11, 2008 by 143.54.13.84

' Melhor ' é bem subjetivo... Não quero me tornar um PhD em economia, eu quero um livro que seja fácil de ler, e me dê insight e motivação.

Quanto à curva de aprendizado, depende de onde é essa ' metade '. Acho sim que é interessante conhecer um pouco de tudo, saber como outras linguagens fazem as coisas, etc. Mas sempre ' pular fora ' na metade da curva de aprendizado não criaria apenas um monte de profissionais medíocres?

- - Tetsuo

- - Posted in Apr 11, 2008 by 200.142.48.38

Eu não me sinto medíocre mas, se você acha...:)

- - Posted in Apr 11, 2008 by Vitor Pamplona

Em relação a curva de aprendizado, algumas coisas valem a pena ir pra frente, outras não. Se o assunto se tratar de linguagens de programação, não acho que vale a pena perder tempo. Mas se isso se tratar de ciência.... cada segundo a mais gasto vale a pena!

- - Eu

- - Posted in Apr 13, 2008 by 189.72.181.94

Também tenho observado isso, Vitor. Parece que é só as tecnologias começarem a se tornar populares que começam a perder os [http://www.martinfowler.com/bliki/AlphaGeek.html alpha geeks] como você. Bom texto.

- - Thiago Arrais

- - Posted in May 7, 2008 by 189.70.227.70

Add New Comment

Your Name:


Write the code showed above on the text below.