Vitor Pamplona

Innovation on Vision: Imaging , Enhancement and Simulation

Blogs como Forma de Avaliação de Alunos em Universidades

Que tal mudarmos drasticamente a forma de avaliação de nossas universidades? Eu sugiro substituir todas as provas e trabalhos por blogs individuais que manterão todo o histórico do aluno durante o curso. Blogs são relativamente fáceis de avaliar e, como estão públicos, é fácil descobrir cópias. O trabalho de avaliação do professor não é substituído, provavelmente vai ficar mais trabalhoso mas, em contrapartida, ele ganha o suporte da comunidade e ajuda a formar alunos melhores.

Ao final do curso, ao invés do aluno com a maior nota receber a menção honrosa da turma, o aluno mais influente na comunidade a recebe (maior page rank dos blogs, por exemplo). A influência do aluno vai divulgar a universidade e o professor, o aluno já sai com alguma experiência de ensino, com um bom investimento na sua carreira, com algum dinheirinho dos Adsense, com um conhecimento maior - devido a ter que escrever o que aprendeu - e já chega na monografia sabendo escrever. Claro que a escrita de um blog é diferente do estilo de escrita de uma monografia, mas algum conhecimento é melhor que nada.  

Vejamos alguns fatos conhecidos pelos profissionais da pedagogia:  

  • Fato 1: Uma prova não é a melhor forma de avaliar os alunos.
  • Fato 2: Trabalhos podem ser facilmente copiados da internet e entre os alunos.
  • Fato 3: Alunos de áreas exatas, na média, não sabem escrever.
  • Fato 4: O professor é o maior motivador da carreira dos alunos.
  • Fato 5: Se o aluno não vê o uso objetivo do que ele está fazendo, ele se desmotiva rapidamente.      

Um blog poderia corrigir ou melhorar estas 5 deficiências. A cada aula (ou cada semana), cada aluno escreve um relatório técnico aprofundando as discussões em aula. O trabalho do professor é passar uma diagonal do texto do aluno (leitura dinâmica) identificando a quantidade de informação que o aluno escreveu, a forma da escrita, a profundidade técnica da discussão e a quantidade de informação apresentada que não foi vista em aula. Baseado nisso ele dá uma nota de participação por aula (ou semana) ao aluno. O professor deve gastar os primeiros minutos da aula fazendo comentários gerais sobre os textos dos alunos. Não há provas, trabalhos nem avaliação de freqüência em sala, apenas exercícios e a publicação destes.  

Uma disciplina de tutoria a partir do 4 semestre poderia ser criada. Alunos experientes receberiam créditos pela ajuda a alunos mais novos. A atividade dos tutores é criticar o texto dos alunos, ajudando-os a melhorar na escrita e no nível técnico. Apesar de parecer um trabalho inútil, a arte de criticar tecnicamente o texto dos outros irá melhorar o texto produzido pelos tutores e despertará a preocupação por conhecer a gramática e aumentar o seu vocabulário.

Os textos públicos facilitam a avaliação dos currículos destes profissionais. As empresas terão informação suficiente para avaliar a qualidade de um profissional. A produção de conteúdo on-line, seja de ferramentas, APIs, teorias ou produtos interessa a maioria das produtoras de software. Quem sabe, algumas parcerias com empresas poderiam dar prêmios a bons textos nos blogs.  

Este novo tipo de avaliação abriria novas formas de atuação da comunidade, ampliando a repercussão da universidade. Quem sabe, um novo mundo não se abre apartir de atitudes como essa.  

Posted in Dec 4, 2008 by Vitor Pamplona - Edit - History

Showing Comments

Vitor,
Experimentei algo parecido com o que sugere em uma turma do curso técnico no ano passado (2007). A matéria era Introdução a Informática e o conteúdo de metade do curso era uma série de seminários que outros professores iriam conduzir.
Como eu sabia que o interesse seria variável conforme a motivação e tema dos palestrantes, propus que os alunos fizessem um resumo de cada uma das palestras, em forma de Blog.
Eu mesmo publiquei um blog para acompanhar os alunos em http://atuacaoinfo.wordpress.com /.
O resultado você pode ver por lá. O tempo era muito curto para que os alunos conseguissem visitantes, assim eu mesmo avaliei os alunos conforme publicavam.

Como conseqüência desta experiência o vício de blogs me pegou e eu acabei por criar o tecnoclasta.com!
Neste ano a grade, formas de avaliação com exames finais e o conteúdo programático mudaram, fazendo com que eu não continuasse o projeto com a nova turma.


- - Prof. Luís Eduardo

- - Posted in Nov 20, 2008 by 200.144.75.5

hum... na minha concepção o professor não participaria pelo blog. Não são todas as pessoas que aceitam críticas públicas.

- - Posted in Nov 20, 2008 by Vitor Pamplona

Vejo o blog como uma ferramenta que pode ajudar e não como a solução pura e definitiva.

- - André S.

- - Posted in Nov 21, 2008 by 200.245.207.21

Oi André,

Exatamente como eu falei: Um blog poderia corrigir ou melhorar aquelas 5 deficiências.

- - Vitor Pamplona

- - Posted in Nov 21, 2008 by 143.54.13.191

Outro aspecto interessante dessa proposta é a possível chance de alguns alunos virarem " pro-bloggers ".

Talvez não cheguem ao ponto de largar tudo para virarem blogueiros, mas quem sabe podem conseguir alguns trocados para bancar os estudos.

Ótimo post e ótima idéia.

Marcos
http://www.marcosdellantonio.net

- - Marcos Dell Antonio

- - Posted in Nov 23, 2008 by 189.26.138.51

Muito interessante o texto.

Então, achei curiosa a idéia. Acredito que valeria a pena este teste. O que vejo no meu curso (ciência da computação) é uma falta de estimulo para a escrita. Principalmente essa interação com o mundo dos blogs. Acredito sim que os resultados poderiam ser bem rentáveis. Não no ponto de vista financeiro (afinal, o aluno tem que conquistar a vontade de ler e escrever por prazer mesmo) mas principalmente para desenvolver melhor sua capacidade de desenvolvimento de raciocínio, responsabilidade e escrita em si. Alias, esta é a principal razão pela qual criei o meu blog. Mais do que um simples currículo. O avaliador poderá ver todos meus interesses, domínios e habilidades de interação.

Parabéns pelo artigo!
Abraço.

Kleber Anderson - http://tecnoideias.blogspot.com

- - Kleber Anderson

- - Posted in Nov 26, 2008 by 189.107.14.175

É uma ferramenta interessante que pode ser adequada ao cotidiano professor-aluno, conheço alguns exemplos, mas não foram aprofundados como o sugerido no texto.Na faculdade de educação e numa escola de nível médio, guardada as devidas diferenças, acredito ser produtiva a iniciativa;

- - Rosangela

- - Posted in Nov 28, 2008 by 189.89.146.70

Alguns orientandos meus estão usando blogs para manter contato no trabalho de conclusão de curso. Fica muito fácil saber o que está acontecendo através deste processo.

O blog serviu como um apoio, para avaliar o andamento do aluno neste caso.

Daniel Wildt - http://danielwildt.com

- - Daniel Wildt

- - Posted in Dec 6, 2008 by 201.37.180.193

Oi Vitor, já existe algo nesse sentido através do padrão IMS Learning Design, no entanto ele não é tão abrangente como a sua proposta, mas é um caminho e uma boa alternativa para se chegar lá!

[] ' s

- - Adriano Almeida

- - Posted in Dec 19, 2008 by 201.44.139.19

Seria uma ótima abordagem para avaliações de cursos à distância. O professor conheceria melhor seus alunos, já que, ao contrário de cursos presenciais, aquele não tem muitas chances de conhecer o perfil psicológico deste. Claro que seria apenas um auxílio nesse quesito tão importante na relação aluno-professor, que, na maioria das vezes, não consegue ser alcançada em cursos à distância.

Além disso, acho que os 5 fatos citados são, provavelmente, agravados nessa metodologia de ensino.

João Paulo F. T. de Araujo



- - João Paulo F. T. de Araujo

- - Posted in Feb 4, 2009 by 189.102.27.152

Não sei se a idéia é certa ou equivocada. Só sei que do jeito que está, não pode continuar. Afinal, tudo evolui. O atual sistema adotado pelos nossos educandários, é retrógrado e dificultoso demais, não espelha de forma alguma o aprendizado, o seu efeito reverso.

Me respondam, por favor, por onde anda o MEC que ainda não pensou em evolução? Por onde andam os pedagogos que não empunham esta bandeira?

Absolutamente revoltado!

Bth Rubens Morais - Brasília-DF (profrubensmorais@gmail.com)

- - Bth Rubens Morais

- - Posted in Oct 2, 2009 by 189.73.255.144

Conheço o prof Rubens. Ele é homem de confiabilidade, respeitado professor de teologia de uma das mais importantes EBD's de Brasília, é Vaticanólogo e escritor de mais de 50 obras, das quais possuo algumas. Esse termo " revoltado " me assustou. Como leigo, nada vou opinar.

Valdomiro P. da Silva


- - va_pe_si@yahoo.com

- - Posted in Oct 4, 2009 by 187.6.115.205

Concordo plenamente.


www.javawora.blogspot.com

- - Eduardo Bregaida

- - Posted in Nov 4, 2009 by 200.206.15.118

Ñ sei de nada! A ñ ser que alguma coisa precisa mudar na forma como os alunos são avaliados atualmente. O tão combatido e criticado “ ESTUDO ” nesta nação, carece de pessoas " REVOLTADAS " e com os pés no chão, como é o caso do prof / MS Rubens Morais, o qual tanto conheço e acompanho a sua produção literária.
Toda a inovação científica depende apenas da vontade do meio acadêmico. É certo que toda a evolução surge entre os estudantes. A universidade é o ÚTERO DA EVOLUÇÃO, ñ é o CN, nem a Pres. da Rep., e muito menos o MEC. Assim, por que esperar pelos nossos governantes? Por que os professores e alunos ñ se juntam para ensinar a ENSINAR? Precisamos esquecer os governantes, já que, é sabido que eles nada farão. " REVOLTADÍSSIMAAA " - PHD / MS CIDALVA PRATES GUEDES - BRASÍLIA – DF.
PARABÉNS, PROF. RUBENS MORAIS ciprague@yahoo.com


- - CIDALVA PRATES GUEDES

- - Posted in Dec 14, 2009 by 201.88.244.162

Caracas!
A Dra Cidalva pegou pesado. Pow... valeu.

André Gutsson - DF

- - ANDRÉ GUTSSON

- - Posted in Jan 1, 2010 by 187.52.114.192

Add New Comment

Your Name:


Write the code showed above on the text below.